Quanto tempo você precisa para o sucesso?

por | 20 jun, 2017

Você está cansado de não ter tempo para mais nada? Vive na correria? Sente que o tempo está indo contra você?

Se nós temos igualmente o mesmo recurso de tempo, porquê algumas pessoas conseguem administra-lo bem e outras não?

Por uma questão bem simples: depende da quantidade de coisas que cada um encaixa num determinado espaço de tempo. Ou, o quanto ansioso você está para o resultado final.

A ansiedade do momento final nos cega.

É engraçado que o tempo foi criado para nos organizar e inicialmente estava totalmente alinhado com os astros, com a lua e o sol. Na época da criação dos tempos, tudo estava em sintonia com o universo. E o que nós fizemos com o tempo ao longo dos anos?

Destruimos a sua verdadeira essência. Nos tornamos escravos de uma ferramenta que foi criada apenas para nos ajudar. Vivemos correndo contra o tempo, como se o tempo fosse nosso inimigo. Enxergamos o tempo como um mal.

A sensação que tenho é que o tempo hoje em dia não está alinhado mais com o universo.

Pensamos que o tempo envelhece, que nos aborrece, nos traz sofrimentos e também muitas responsabilidades. Mas na realidade, esse peso todo que damos ao tempo é pura criação nossa. O tempo é uma ferramenta incrível que estamos usando incorretamente e o culpando de tudo.

Junto com esse mal uso do tempo, nós estamos cada vez mais preocupados com o sucesso precoce.

Queremos fazer sucesso antes dos 30 anos. Ou melhor, queremos:

  1. Encontrar o amor da nossa vida;
  2. Descobrir a profissão dos sonhos;
  3. Estudar;
  4. Estudar mais um pouco e se especializar;
  5. Casar;
  6. Ter filhos; e
  7. Ser extremamente bem sucedido.

Meu Deus! Aí você chega aos 30 anos e pensa: acho que preciso de mais qualidade de vida.

E foi bem essa a sensação que tive aos meus 27 anos.

E sou muito grata por ter sentido um “vazio” antes dos 30 anos. Senão, estaria entardecendo o meu processo de felicidade.

Descobri depois do caos e do vazio que senti, que só nos tornamos adultos aos 28 anos. Isso geneticamente, astrologicamente e espiritualmente.

Aí me perguntei: porquê será que a sociedade quer tanto que sejamos adultos antes disso? Porquê precisamos escolher o nosso futuro com apenas 18 anos?!

Talvez essa seja a causa de muitos problemas….

Nesse intervalo de 10 anos, dos 18 aos 28 anos, você deveria usar para se descobrir, para se experenciar. Porém, acabamos vivemos esses 10 anos somente pensando em construir algo que nem sabemos o que é ainda.

Por isso que muitas celebridades morrem aos 27 anos, eles na realidade não suportaram passar pelo retorno de Saturno. O retorno de Saturno é a fase astral que serve de decisões, é a fase onde mudamos da adolescência para a fase adulta. Por isso que muitos piram. Para os famosos, onde a vida é tão exposta e a cobrança é maior, a confusão interna pode ser gigantesca.

Mas peraí, eu sou uma pessoa ambiciosa como você e também acredito que devemos viver buscando o sucesso pessoal, a realização e todos aqueles itens acima. Encontrar um companheiro e uma pessoa a quem confiar e construir uma família é um dos meus sonhos também. Mas qual é o problema disso tudo então?

O problema dessa fórmula do insucesso é o QUANDO você quer realizar tudo isso. Se esses são itens talvez para uma vida toda, porque queremos tudo isso antes dos 30? A definição do prazo de cada um desses sonhos está diretamente relacionada com a sua felicidade.

Vamos fazer um exercício:

  1. Quantas tarefas você colocou para executar no seu dia hoje?
  2. Quantas coisas você pretende fazer nesse mês ou nesse ano?
  3. Quantas pessoas você quer encontrar apenas nesse final de semana?
  4. Em quantos eventos você quer ir no próximo semestre?
  5. Quantos países ou cidades você quer conhecer antes dos 35?

Acabamos sobrecarregando nossos dias, meses e anos e enchendo nossas vidas de coisas ou sonhos a curto prazo. Decida o que quer e espace esses sonhos ou tarefas ao longo da sua vida toda, de forma que você possa viver HOJE uma vida com qualidade.

Sabe aquelas frases que escutamos: Quando eu aposentar eu farei isso ou aquilo. Quando meus filhos crescerem eu terei tempo para tudo. Quando eu casar eu já estarei formada. E assim por diante…

São todas frases auto-sabotadoras.

Nós precisamos criar hoje uma realidade que queremos para amanhã. E passar a vivê-la e a construir a paz que queremos. E essa paz está totalmente relacionada com o tempo que você acoloca as coisas.

Por exemplo: quanto tempo você separou apenas para você hoje?

Veja se ao longo do dia você separou pelo menos uns 15 minutos somente para você. Caso não tenha separado nada, já é um indício de que está longe de viver a qualidade de vida que tanto deseja. Qualidade de vida é uma consciência que já pode ser criada hoje.

E é daí que vem a maldita frase: “work hard, play hard”.  Ela é desequilibrada demais, ela é pesada. Ela nos diz que para nos divertirmos muito, temos que também (e proporcionalmente) trabalharmos muito.

Teoricamente, você já pode se divertir agora, agorinha mesmo. E quanto mais saber se divertir no caos do momento presente, melhor vai conseguir trabalhar e com menos stress. Assim, vai produz mais e com mais qualidade.

Se levarmos essa questão para o mundo corporativo, aí começamos a entender porque a geração da depressão está crescendo. Muitos jovens são os “filhos” das empresas e de culturas da velocidade. A era industrial criou empresas e modelos de gestão baseados no: tempo é dinheiro.

E aí complicou-se tudo. Foi daí que começamos a distorcer o conceito original do tempo.

Acho super okay criar modelos de trabalho orientados para o resultado, do mesmo jeito que devemos viver uma vida ambiciosa, pensando grande para realizar tudo o que sonhamos. O problema é quando você quer realizar tudo isso.

Quando as empresa criam projetos, trabalhos e negócios com prazos apertados demais ela passa a “matar” seus funcionários aos poucos.

Ela “mata” a felicidade, a criatividade e o tesão deles de trabalharem. Com isso, perdem também a sua produtividade. Prazos curtos demais é quase que uma tortura mental e profissional.

Como muitos vivem esse cenário hoje em dia, sinto-lhes informar, mas vocês estão caminhando para o fundo do poço da infelicidade.

A felicidade é em viver o momento presente com alegria.

E como fazer isso com a pressão do tempo nas nossas costas?

Uma das coisas que aprendi no meu MBA de Projetos foi criar cronogramas complexos e eficientes. Para quem não sabe, cronograma nada mais é do que uma lista de tarefas com prazos definidos.

Acontece que na maioria das vezes, muita gente faz esse “bendito” cronograma quase que impossível de ser cumprido e com prazos curtos demais. E esse é o drama que as empresas vivem hoje em dia. Nunca alcançam seus resultados esperados e quando alcançam geram funcionários insatisfeitos. Mas, existe uma técnica incrível que quero compartilhar com vocês: o uso de buffers.

Buffers são intervalos de tempo entre uma atividade e outra.

Quase ninguém os considera na gestão de projetos, e são exatamente eles que podem ou não fazer seu projeto obter sucesso. Esses buffers prevém riscos, imprevistos, possíveis atrasos entre outras coisas. Vocês nem imaginam o quanto isso é importante para um projeto e para a vida.

Acreditar que uma tarefa vai terminar exatamente no prazo estipulado, é o mesmo que acreditar que você vai atravessar São Paulo em meia hora durante o horário de pico.

Geralmente, as atividades acontecem subsequentes umas às outras, e quando há vários recursos ou pessoas envolvidas, esse risco de atraso aumenta ainda mais. Quando consideramos buffers entre elas, estamos prevendo fatores externos e internos de risco. Esses fatores podem ser: abstenção de funcionários, queda no sistema, mudança no escopo do projeto bem como outros fatores de acordo com cada empresa.

Buffer

Se trazermos esse conceito de “buffers” para a nossa vida pessoal, iremos perceber o quanto não damos pausas entre uma coisa e outra. São nessas pausas que muita idéia surge e que muitos problemas são resolvidos. São o que considero pausas criativas, que te enchem de energia ao longo do dia.

A rapidez é mesmo inimiga da perfeição. As vezes acreditamos que a rapidez para se atingir um resultado está diretamente ligada ao sucesso. Onde na verdade, muitas vezes a demora para realizá-lo gera mais qualidade e eficiência.

Como você está definindo os prazos da sua vida?

Outra coisa que vejo muito acontecer nas empresas é o erro na hora de definir os prazos. Eles normalmente acontecem de cima para baixo, ou seja, do chefe para os funcionários.

O sucesso da execução das tarefas sempre está ligado ao próprio executor. Este prazo deveria ser feito de baixo para cima, ou seja, cada executor dizer o tempo que precisa para realizar a tarefa com excelência (incluindo os buffers).

Infelizmente sabemos que não é isso que acontece nas empresas. Mas pelo menos conseguimos entender um dos motivos pelo qual trabalhar em grandes empresas e ser feliz ao mesmo tempo, é muito difícil.

O empreendedor pode falhar muito na ânsia de ter sua empresa aberta o quanto antes. Do mesmo jeito que um gerente, a fim de manter sempre o prazo mais curto possível, pode vir a cometer uma série de erros e tarefas mal planejadas, que no final do projeto pode gerar em resultados ruins.

Lembre-se: você é capaz de fazer tudo o que sonha, mas em um tempo bem mais tranquilo do que imagina. Respeite o tempo do universo e aproveite a sua vida agora mesmo!

Se você sente que está sofrendo com tempo e com o ritmo da sua empresa ou da sua vida, conheça as Mentorias Flow Energy. Elas podem te ajudar a viver hoje de uma forma muito mais simples e feliz.

Mentorias Flow Energy

Encontre novas soluções para velhos problemas

Pin It on Pinterest

Shares
Share This

Compartilhe