Um dia as máquinas vão mesmo substituir as pessoas?

fev 13, 2018 | Artigos | 0 Comentários

Será que no futuro viveremos do jeito que assistíamos nos desenhos animados, tipo Os Jetsons? Robôs andando pelas casas, carros voadores e uma arquitetura toda futurística?

Não temos certeza, mas talvez o futuro não será assim tão futurístico como imaginamos. Se notar, ao mesmo tempo que avançamos em tecnologia, também evoluímos em humanização, claro que a passos de tartaruga, mas evoluímos…

Estamos mais conscientes em relação ao meio ambiente, ao cultivo de alimentos orgânicos, a não-violência, a igualdade dos gêneros, raças e até do trabalho.

Mas, é possível equilibrar essas duas forças: humanização x automação?

Sim, é possível.

A automação de tarefas existe justamente para sobrar mais tempo para a humanização e as coisas que realmente importam.

Costumo dizer que limpar chão e lavar roupa não pode ser o propósito de ninguém. Ninguém nasce com uma missão enorme de limpar com amor as roupas e coisas dos outros…

Um futuro automatizado vem justamente para diminuir trabalhos braçais como esse. Ou seja, tudo aquilo que é chato, as máquinas vão fazer por nós.

Já ouviu falar nas casas-smart? Elas irão, por exemplo, se limpar sozinhas.

Por isso que não é tão ruim assim ter um futuro onde as máquinas façam aquilo que ninguém quer fazer. Não precisamos ter medo.

Recentemente o World Economic Forum anunciou que daqui 2 anos mais de 5 milhões de pessoas irão perder o emprego por causa das novas tecnologias.

E você não precisa se espantar com um futuro robotizado, ele trará mais espaço para cada um de nós sermos o nosso melhor.

E quando tudo isso já tiver automatizado, as pessoas “automaticamente” terão mais tempo para descobrir o seu real propósito de vida e buscar ter mais qualidade ao invés de produtividade.

Quem se encarregará da produtividade serão as máquinas. E isso sim que é futuro.

Além disso, a automatização reduz possíveis erros humanos, aumentam a velocidade das atividades, melhora a precisão e até a qualidade. Em muitas vezes as máquinas e computadores conseguem exceder a capacidade humana.

Segundo a consultoria McKinsey, 15,7 milhões de brasileiros terão seus trabalhos afetados pela automação até 2030. Ou seja, quanto antes aceitarmos essas mudanças, melhor viveremos.

Isso não será mais uma realidade dos países desenvolvidos, e sim algo muito mais próximo de nós.

Centro de tecnologia de Singapura. Representa o lado corporativo e os avanços da tecnologia. Como será este mesmo Lugar daqui uns anos? Já imaginou?

Devemos aceitar o futurismo?

Mais de 16 trilhões de dólares em salários gastos mundialmente hoje, no futuro vão para algo que deveria ser automatizado. Com isso, mais de 2000 atividades e 800 cargos deixarão de existir.

É bastante coisa para você ficar aí sentado achando que o que você faz hoje vai continuar existindo daqui a alguns anos. No mínimo o seu filho não verá mais tanto valor assim no que você faz.

Das principais atividades que não existirão, a maioria envolve esforço físico, coleta de informação e/ou processamento de dados. Essas são categorias facilmente substituídas por máquinas.

Nenhum emprego será garantido no futuro

O varejo será o setor que mais sofrerá impacto, por lidar diretamente com o público final.

De uma forma geral, metade das coisas que fazemos hoje não precisará ser feita no futuro. Você tem noção do que é isso?

Vai sobrar metade do seu tempo para investir em qualidade de vida ou ajudar as pessoas das mais variadas formas.

O Futurismo chegará no Brasil?

O Japão, a Índia e a China são os países que mais prometem crescer em automação.

O Brasil está bem atrás nas pesquisas porque automação é algo que envolve custo e burocracia. Muitas leis, regulamentos e processos precisarão ser adaptados.

As máquinas também terão chefes-robôs?

A boa notícia é que são poucas as atividades que serão 100% automatizadas, na maioria das vezes ainda será necessário um suporte ou participação humana.

Áreas como gestão, educação, administração pública e saúde serão as menos afetadas.

Enquanto os operadores de telemarketing, por exemplo, facilmente deixarão de existir. Alguns robôs de data por exemplo, já estão sendo testados.

Ainda bem né, deve dar uma tremenda dor de cabeça trabalhar com telemarketing. Afinal, os próprios telefones talvez deixarão de existir.

NYC! Será que futuramente este prédio será ocupado por Robôs?

Extinquir as profissões será algo ruim?

Não é que todas essas profissões deixarão de existir no futuro e o povo vai ficar sentado, “coçando” sem fazer nada. Pelo contrário, sua inteligência será usada para outras coisas.

E é essa a conexão com o seu propósito de vida e por isso que precisamos que o mundo evolua rapidamente em tecnologias. Saber seu principal diferencial e como aplica-lo no mundo é muito futurístico.

Como sobreviver ao futurismo

Amanhã ou em breve o único jeito de sobreviver será sabendo fazer o que nenhuma máquina sabe fazer, ou seja, usar o seu “fator humano”.

E é exatamente isso que eu acho maravilhoso sobre o futuro!

O mundo aos poucos vai nos forçando a olhar pra dentro e buscar nosso papel no mundo, quer queiramos ou não.

Quais são as profissões do Futuro?

Veja abaixo as profissões que mais se destacarão no futuro e se alguma delas você poderá enxercer o seu propósito:

– Professores Freelas: professores baseados em necessidades específicas;

– Fazendeiros urbanos: especialistas em plantio orgânico;

– Designer de realidade virtual;

– Cuidadores: uma vez que a taxa de natalidade diminui e a expectativa de vida aumenta;

– Especialistas em energias alternativas;

– Profissionais de qualidade de vida;

– Facilitador Cultural: especialistas em unir diferentes culturas e tribos (etnias).

Ou seja, só profissão legal!

A sensação que tenho é que a crise, a falência de grandes indústrias e as principais mudanças do mundo são necessárias para que algo muito melhor nos aconteça em breve.

Precisamos transformar as empresas e as profissões chatas em modelos de trabalho com mais significado.

O mundo precisa se tornar um lugar mais legal de se viver.

Carregamos por anos um fardo pesado de que trabalhar é ruim. Mas o futuro não espera isso de nós, na realidade, nem o presente quer isso.

Precisamos estar atentos e adaptados para daqui 10 anos. Isso nos ajuda a nos comunicar com os jovens, a educar nossos filhos e a criar novos negócios.

E para quem exerce alguma das profissões mais tradicionais, não se preocupe, elas serão somente transformadas, não necessariamente eliminadas.

O futuro, a evolução e o desenvolvimento da humanidade está sempre nos levando para um amanhã melhor que hoje. Confie nisso e pare de resistir às mudanças.

O que fazer com o medo do futuro?

Você tem medo do amanhã? Quantas vezes já deixou de fazer um curso, entrar em um novo emprego só por pensar que aquilo não lhe traria “um futuro”? Já pensou que sua função fosse um dia substituída por robôs?

Não se preocupe, tem algo aí dentro de você que pode te ajudar a ganhar a vida de um jeito muito mais fluído. E eu posso te orientar a encontrá-lo.

Já senti esse medo, o venci e encontrei talentos e habilidades que estavam escondidas dentro de mim. Hoje vivo o meu propósito de um jeito que nenhum robô pode substituir.

Para saber mais, entre em contato comigo através de: falecomigo@tatianagarcia.com.br

* referência: Mckinsey Global Institute (Annual Reports & Researches,2017) e Word Economic Forum, 2018.

Tatiana Garcia Negócios do futuro

Olá! Eu sou Tatiana Garcia e ajudo as pessoas a descobrirem seu propósito e a viverem daquilo que nasceram para ser. Acredito que as pessoas podem transformar o mundo quando conectadas com o seu melhor.

Mais sobre mim aqui

Pin It on Pinterest

Shares
Share This

Compartilhe